free tracking

conspiradores

. Raquel

. Jorge Amorim

. Nuno Miguel Lopes

. Luís F. Alves

estamos aqui

e-mail

. Say NI

artigos recentes

. É assim que se brinca com o coração dos fãs!

. Avengers 2

. Em Julho de 2013... (Marvel Comics)

. Então careca?? O que se passou?

. O novo (e velho) Constantine

. Quanto pagas por uma morte?

. Será mesmo Superior?

. Ask the Kingpin (Parte 2 de 2)

. Ask the Kingpin (Parte 1 de 2)

. The Kingpin of Comics is back ...

links de comics

. Comic Book Resources

. DC Comics

. Image comics

. Kingpin of Comics (Site)

. Kingpin of Comics (Blog)

. Leituras de Bd e não só

. Marvel Comics

. Newsarama.com

. Silver Bullet Comics

. World of Manga and comics

. Luca BD

outros links

. Corusca

. Multitudo Design

. O Armário das Calças

. Sonhos Urbanos

arquivos

. Março 2006

. Abril 2006

. Maio 2006

. Junho 2006

. Julho 2006

. Agosto 2006

. Setembro 2006

. Outubro 2006

. Novembro 2006

. Dezembro 2006

. Janeiro 2007

. Março 2007

. Abril 2007

. Junho 2007

. Julho 2007

. Agosto 2007

. Outubro 2007

. Janeiro 2008

. Fevereiro 2008

. Março 2008

. Abril 2008

. Maio 2008

. Junho 2008

. Julho 2008

. Agosto 2008

. Setembro 2008

. Outubro 2008

. Novembro 2008

. Dezembro 2008

. Janeiro 2009

. Fevereiro 2009

. Março 2009

. Abril 2009

. Maio 2009

. Junho 2009

. Julho 2009

. Agosto 2009

. Setembro 2009

. Outubro 2009

. Novembro 2009

. Dezembro 2009

. Janeiro 2010

. Fevereiro 2010

. Março 2010

. Abril 2010

. Maio 2010

. Junho 2010

. Julho 2010

. Agosto 2010

. Setembro 2010

. Outubro 2010

. Novembro 2010

. Janeiro 2011

. Fevereiro 2011

. Março 2011

. Abril 2011

. Maio 2011

. Julho 2011

. Agosto 2011

. Setembro 2011

. Outubro 2011

. Novembro 2011

. Dezembro 2011

. Janeiro 2012

. Fevereiro 2012

. Abril 2012

. Junho 2012

. Julho 2012

. Agosto 2012

. Setembro 2012

. Outubro 2012

. Novembro 2012

. Dezembro 2012

. Janeiro 2013

. Março 2013

. Abril 2013

. Outubro 2014

RSS
Powered by Blogger
quinta-feira, janeiro 18, 2007


No deserto americano, um camionista dá boleia a uma rapariga. Em conversa, ela admite que fugiu de casa, e que vai à procura de fama e fortuna em Hollywood. Ele avisa-a de que Hollywood é a primeira paragem para o Inferno, e que se não fosse um amigo a resgatá-lo das ruas, provavelmente estaria morto de SIDA ou overdose. A conversa anima, passa no rádio uma música, eles cantam em conjunto. De repente, surge na estrada... algo... O camionista não tem tempo de se desviar, e o que quer que esteja no meio da estrada é atropelado e dilacerado pelo camião. Sobressaltados, os ocupantes do camião decidem olhar em frente. É melhor deixar tudo para trás. O condutor acelera, e o camião da Acme* segue em direcção ao seu destino.

Atrás deles, a estrada está suja com sangue, pelo, e entranhas. Mas pouco a pouco, os pedaços começam a convergir, e uma forma começa a surgir do monte de carne esmagada. A criatura, finalmente inteira, e depois de muito sofrimento, restaurada, ergue-se nas patas traseiras, claramente bípede. Mas não é um homem. É um coiote.

O Coiote.

Vou confessar-vos uma coisa: eu estou a trabalhar neste post há uns três ou quatro meses.

O que é estúpido, claro! Convenhamos, é só um post para um blog, não precisa de ser uma obra-prima. Ainda por cima, não só é um comic de 22 páginas (o formato americano típico, ao qual eu e montes de pessoas gostam de se referir como floppy), como já tem quase 20 anos. Porque carga de água é que isto me está a dar tanto trabalho?

Assim de repente, a sensação que tenho é a de que já se disse muito sobre este comic em particular ao longo dos anos. Afinal de contas, este é, talvez, o número que marcou a presença de Grant Morrison nos comics americanos. Morrison, uma das vozes mais criativas da BD mundial, iniciou a sua carreira americana com esta série. Foram-lhe oferecidas várias séries possíveis para ele trabalhar e revitalizar, mas ele escolheu deliberadamente o Animal Man, um personagem esquecido, com pouco mais que meia dúzia de aparências ao longo de duas décadas. Mas Morrison viu nele o potencial para explorar várias coisas que lhe tocavam fundo. A mais óbvia, claro, foi a causa ecológica, que se tornou óbvia logo desde o primeiro número da série. No entanto, o que veio a tornar a série quase revolucionária foi a trama que começou, pelo menos tematicamente, a desenrolar-se neste número.

Outra grande dificuldade, para mim, é o facto de eu querer interessar os leitores neste comic. É mais importante que em qualquer outra das críticas que escrevi até agora, porque este é um dos meus comics favoritos de todos os tempos. Quando o li, a minha experiência com comics com algum conteúdo intelectual era, admito, algo limitada, de forma que, por divertidos e ocasionalmente inteligentes que os comics que eu lia fossem, o facto é que nenhum era tão profundo como este.

Caso não tenham percebido pelo primeiro parágrafo deste texto, a história deste comic, entre outros sub-plots (o Animal Man decide que a sua família se vai tornar vegetariana, sem consultar a mulher e os filhos, por exemplo), é a do Coiote, o mesmo que todos conhecemos dos desenhos animados, a sacrificar-se para salvar o seu mundo. A história é complicada, mas basicamente, o Coiote assume uma posição semelhante á de Cristo, oferecendo-se como sacrificio a Deus para que o seu mundo possa viver em paz.

O que me prendeu a mim foram os múltiplos subtextos presentes aqui, e apenas em 22 páginas. A insinuação de que a "realidade" dos desenhos animados é tão válida como qualquer outra, a sugestão de que existimos apenas para entretenimento gratuito dos deuses, a inescapabilidade do nosso destino aos caprichos dos que nos comandam, a nossa vulnerabilidade perante a forma como os outros nos vêem. E também, e para mim, mais que tudo, uma vez que é um tema que ressoa sempre bastante comigo, a importância do auto-sacrifício para bem de outros, por mais fútil que seja finalmente.

Tudo isto, e muito, muito mais, em apenas 22 páginas sobre um coiote.

Dá para perceber porque fiquei agarrado.

Estes temas seriam todos explorados ao logo dos restantes 21 números do Animal Man escritos por Morrison, numa história que se vai revelando cada vez mais pessoal para o autor á medida que vai avançando, e mostrando que, só porque se está a falar sobre super-heróis, não significa que não se pode penetrar fundo na nossa alma e na natureza da realidade.

Essa exploração começa aqui. E mesmo que não leiam mais nada, só este comic vale por si.

(Uma nota adicional: este comic, individualmente, deve ser dificil de arranjar, mas o paperback que o inclui é facilmente encontrado em lojas de comics, tanto fisicas como online. Para vossa referência, a capa do paperback é esta.)
saí­do da mente de Luís F. Alves às 11:17 da tarde
link do post | 0 comentários | voltar ao topo
Recebemos um comentário no nosso post anterior a anunciar uma sessão de autógrafos na Mongorhead Comics, dia 20 de Janeiro (Sábado).

A MONGORHEAD, livraria de BD, vai realizar no dia 20 de Janeiro, no Sábado, uma sessão de autógrafos com o autor e desenhador Rui Gamito e o colorista Rui Lacas, responsáveis pela obra, FATO DE MACACO - O Símbolo.A primeira estória de uma Saga de 4 estórias.Para mais informações visitem o Blogue http://opiresvoador.blogspot.com/ Mais uma vez, Fato de Macaco, enfrenta um oponente que nem sempre é vísivel ou evidente.O debate sobre o que é a nossa civilização ocorre num ambiente cheio de fogo, balas, tijolos desfeitos, prédios em ruínas, fumo e cinza.''

Fica a informação.
saí­do da mente de Raquel às 9:36 da manhã
link do post | 0 comentários | voltar ao topo
quarta-feira, janeiro 10, 2007
Your results:
You are Spider-Man
























Spider-Man
90%
Green Lantern
85%
Robin
70%
Hulk
65%
The Flash
65%
Superman
55%
Wonder Woman
45%
Iron Man
45%
Supergirl
40%
Catwoman
20%
Batman
15%
You are intelligent, witty,
a bit geeky and have great
power and responsibility.


Click here to take the Superhero Personality Test

saí­do da mente de Jorge Amorim às 11:49 da manhã
link do post | 4 comentários | voltar ao topo
terça-feira, janeiro 09, 2007
Pois é, parece que a TVI resolveu investir na série Heroes. Vamos ter mais pessoas a ver a série, assumindo que:

a) Têm insónias e estão acordados às 2 da matina nos dias de 2ª a 6ª Feira
b) Têm paciência para pôr a gravar uma cassete inteira de 240 minutos, na esperança dos atrasos da programação não ultrapassarem esse tempo

Okay, estou a ser um pouco mázinha, já que pelo menos vai passar na TV portuguesa... Mas não consigo resistir a pedir que comentem com a vossa teoria de qual será o horário fantástico que a TVI irá arranjar para a série.

PS - Prison Break é gira e também vai passar na TV pública portuguesa, na RTP.
saí­do da mente de Raquel às 10:19 da manhã
link do post | 1 comentários | voltar ao topo


Conteúdo © Copyright 2006 Jorge Amorim, R e (Phi)lipe. Todos os direitos reservados.
As imagens usadas são propriedade dos respectivos donos.
Icons por Kevin Potts.