free tracking

conspiradores

. Raquel

. Jorge Amorim

. Nuno Miguel Lopes

. Luís F. Alves

estamos aqui

e-mail

. Say NI

artigos recentes

. É assim que se brinca com o coração dos fãs!

. Avengers 2

. Em Julho de 2013... (Marvel Comics)

. Então careca?? O que se passou?

. O novo (e velho) Constantine

. Quanto pagas por uma morte?

. Será mesmo Superior?

. Ask the Kingpin (Parte 2 de 2)

. Ask the Kingpin (Parte 1 de 2)

. The Kingpin of Comics is back ...

links de comics

. Comic Book Resources

. DC Comics

. Image comics

. Kingpin of Comics (Site)

. Kingpin of Comics (Blog)

. Leituras de Bd e não só

. Marvel Comics

. Newsarama.com

. Silver Bullet Comics

. World of Manga and comics

. Luca BD

outros links

. Corusca

. Multitudo Design

. O Armário das Calças

. Sonhos Urbanos

arquivos

. Março 2006

. Abril 2006

. Maio 2006

. Junho 2006

. Julho 2006

. Agosto 2006

. Setembro 2006

. Outubro 2006

. Novembro 2006

. Dezembro 2006

. Janeiro 2007

. Março 2007

. Abril 2007

. Junho 2007

. Julho 2007

. Agosto 2007

. Outubro 2007

. Janeiro 2008

. Fevereiro 2008

. Março 2008

. Abril 2008

. Maio 2008

. Junho 2008

. Julho 2008

. Agosto 2008

. Setembro 2008

. Outubro 2008

. Novembro 2008

. Dezembro 2008

. Janeiro 2009

. Fevereiro 2009

. Março 2009

. Abril 2009

. Maio 2009

. Junho 2009

. Julho 2009

. Agosto 2009

. Setembro 2009

. Outubro 2009

. Novembro 2009

. Dezembro 2009

. Janeiro 2010

. Fevereiro 2010

. Março 2010

. Abril 2010

. Maio 2010

. Junho 2010

. Julho 2010

. Agosto 2010

. Setembro 2010

. Outubro 2010

. Novembro 2010

. Janeiro 2011

. Fevereiro 2011

. Março 2011

. Abril 2011

. Maio 2011

. Julho 2011

. Agosto 2011

. Setembro 2011

. Outubro 2011

. Novembro 2011

. Dezembro 2011

. Janeiro 2012

. Fevereiro 2012

. Abril 2012

. Junho 2012

. Julho 2012

. Agosto 2012

. Setembro 2012

. Outubro 2012

. Novembro 2012

. Dezembro 2012

. Janeiro 2013

. Março 2013

. Abril 2013

. Outubro 2014

RSS
Powered by Blogger
domingo, março 30, 2008
Antes de mais, peço desculpas por mais uma vez me ter atrasado um pouco com esta coluna. Mas pá, ás vezes um gajo tem mais que fazer, não é?
Vamos às críticas:

COUNTDOWN TO FINAL CRISIS 5 - Bom, mas não tão bom como o da semana passada. Ainda assim, se se conseguisse aguentar até ao final com este nivel de qualidade, era porreiro...

GREEN LANTERN #29 - Tudo isto é muito interessante, mas o facto é que, tirando meia duzia de pormenores, nada disto é informação nova. Em si mesma, esta nova versão da origem do Hal Jordan não tem nada de errado, peca é por ser um bocado dedundante. Pode ser que os próximos capítulos a justifiquem...

TEEN TITANS #57 - Como destaque sobre a Ravager, isto é bom. E ainda bem, porque ela é a minha Titan favorita, para ser sincero. Mas os vilões são completamente genéricos, por enquanto. É pena, esta história merecia mais da minha atenção. Mas assim é complicado.

DAREDEVIL #106 - Não acontece nada de novo aqui, já vimos demasiadas vezes o Daredevil à beira do abismo. Ainda assim, é interessante ver as coisas da perspectiva das pessoas que lhe são próximas, em vez da dele. A história é claramente feita para encher um buraco, mas enche-o com qualidade.

MIGHTY AVENGERS #11 - A história acaba, e tão atabalhoada como tem sido desde o inicio. Todo este story-arc foi tempo perdido, e tirando o facto de pela primeira vez de que me lembro, o Dr. Doom ter sido efectivamente preso, nem sequer há consequências dignas de nota. O Bendis deve ter sido substituido por um skrull, só pode...

NEW AVENGERS #39 - Ok, eu pensei que os Skrulls já estivessem infiltrados há mais tempo. Parece-me um bocado batota só agora se estarem a tentar infiltrar. Por outro lado, a ideia pode ser essa... Qualquer dos casos, é um bom prólogo para a Secret Invasion.

SHE-HULK 2 #27 - Há aqui um bom momento com o Iron Man, mas de resto não achei nada de especial. Além disso, começo a ficar farto de personagens que não conseguem morrer.

ULTIMATE HUMAN #3 (de 4) - Nem sei bem qual é a minha opinião sobre isto. Até aqui, estava a adorar esta mini-série, mas este número vai numa direcção tão diferente que eu não sei se funciona. Por um lado, eu adoro este tipo de história, espionagem realista, baseada mais em politiquices de secretária que em missões no terreno (a inspiração que o Ellis cita para este número é a mesma que inspirou o Queen & Country, a série da BBC The Sandbaggers). Por outro... Epá, até aqui isto foi sobre super-ciência e porrada. E agora sobra pouco espaço para fazer algo de mais interessante com isso, parece-me. Enfim. Gostei, acho eu, mas com reservas.

ULTIMATE SPIDER-MAN #120 - Não foi um final particularmente interessante para esta história, e é pena. Estava a ser o melhor story-arc desta série desde há muito tempo. E se calhar é na mesma, mas o final desiludiu-me, pronto... É que só deu para me rir uma vez...

DAN DARE #5 (de 7) - Seca.

Como já notaram, esta semana foi parca não só em termos de quantidade como de qualidade. Não tenho dúvidas que a SURPRESA DA SEMANA foi o ULTIMATE HUMAN, com a mudança de ritmo inesperada, mas escolher o melhor é complicado. Estou tentado a não atribuir a nenhum, mas isso seria um bocado farto. Por péssimos que fossem todos os comics (que não foram), algum teria que ser o melhor. E dos desta semana, acho que o que gostei mais foi do ULTIMATE HUMAN, não pelos mesmos factores que fizeram dele a surpresa da semana, mas apesar deles.
E com isto, temos mais uma semana despachada. Espero que a próxima seja melhor...
Abraço, até lá!
saí­do da mente de Luís F. Alves às 6:22 da tarde
link do post | 2 comentários | voltar ao topo
domingo, março 23, 2008
Antes de mais, boa Páscoa a todos!
Sem mais demoras, vamos ás criticas da semana, que sinceramente me surpreenderam deveras, como verão.

ANGEL: AFTER THE FALL #5 - Ok, é um bocado irritante um cliffhanger que só vai ser resolvido daqui a quatro meses! Mesmo que o resto fosse brilhante (que não é), só isso bastava para me deixar mal com este comic.

GRENDEL BEHOLD THE DEVIL #5 (de 8) - O comando da linguagem da banda desenhada nesta série continua a ser fascinante, mas enquanto história, o facto é que não adianta muito. Continua, no entanto, a prender-me. Simplesmente está algo abaixo do que espero, mas é mais por ser a parte do meio da história do que propriamente por ser fraco...

BATMAN AND THE OUTSIDERS #5 - Entretém, mas é algo inconsequente. Além disso, embora seja agradável "ver" o retorno dos dois personagens que aqui ressurgem, admito que não gosto deste uso para eles. Mas pronto, a ver vamos como as coisas correm a partir daqui.

BRAVE AND THE BOLD #11 - A trama adensa-se, e o vilão continua a não ser muito interessante, mas a parelha de personagens escolhida para este número tem que se lhe diga. Só por isso, vale a pena.

CHECKMATE #24 - Bom, acho que nunca esta série teve um tom tão épico. Para história final do argumentista original, parece-me apropriado. É pena é precisamente ser a história final...

COUNTDOWN TO FINAL CRISIS 6 - Uau. Eu nem tenho palavras. Não tenho dúvidas que os próximos números desta série vão voltar a ser a mesma porcaria que foram os anteriores, mas o facto é que, neste número, os autores conseguiram dar um golpe de rins impressionante, e fazer um comic muito bom mesmo, que só sofre por estar relacionado com uma história que no seu total é fraca. Mas este capítulo surpreendeu-me imenso, e ainda bem. Parece que me precipitei na semana passada...

FLASH #238 - Ah, AGORA sim! É pena ter sido necessária a saida do Mark Waid para que esta série voltasse à glória antiga, mas parece que foi o que aconteceu. Este número, não sendo brilhante, é o melhor desde que o Wally West regressou. Até é ele o narrador, e tudo, coisa que sempre me pareceu essencial para manter uma perspectiva mais humana nas histórias do Flash. Bom material, e pode ser o começo de algo melhor ainda. Estou a torcer por isso.

ROBIN #172 - Boa acção com um assalto a um casino, e a revelação que se esperava no final. Eficiente, mas pouco há a dizer.

AMAZING SPIDER-MAN #554 - Bom, e eis que termina mais uma história. Ao contrário das mais recentes, o final é a melhor parte, e é-o porque passa mais tempo nos elementos de novela do que propriamente no confronto com o vilão. Só falta uma equipa criativa mostrar o que vale. Veremos para a semana, suponho...

CAPTAIN AMERICA #36 - E eis que o novo Capitão América começa a perceber que é bem mais dificil preencher o lugar do antigo do que ele pensava. Espero é que o que surge na última página não seja o que parece. Estou a gostar demais desta série como está para que a ideia me agrade...

CAPTAIN MARVEL #4 (de 5) - Ainda não foi respondida definitivamente a questão levantada no número anterior, mas continua a ser ela a parte mais interessante desta história. Consequentemente, acho que não posso dizer se gosto disto antes da resposta.

FRANKLIN RICHARDS SPRING BREAK - É isto que a DC quer imitar com os Tiny Titans, mas não chega nem perto. O conceito é genial, e a execução fica bem próxima. E rio-me sempre. Não posso fazer elogio maior que esse.

IMMORTAL IRON FIST #13 - Esta história em particular já vai longa demais, a meu ver, mas todos os envolvidos estão no topo da sua criatividade, e como tal, este prenúncio de porrada de meia-noite consegue manter a qualidade a que esta série nos habituou.

INCREDIBLE HERCULES #115 - Caraças, isto é divertido! Há uma cena em que o Hércules, a fugir da SHIELD numa nave roubada e prestes a ser atingida por montes de mísseis, pega no irmão Ares (o deus da guerra, sim), e usa-o como bastão para afastar os mísseis à porrada! É este o nível de insanidade deste comic, e ainda há espaço para várias explorações de personagens. Recomendado.

THOR #7 - Interessante. É algo estranho ver teoria quântica aplicada aos deuses nórdicos, e ainda mais estranho ver o Thor e o Dr. Blake tratados como duas pessoas diferentes, mas isso não tira nenhuma da qualidade a esta história, uma exploração da relação entre pais e filhos no contexto dos deuses. O JMS está claramente a jogar no seu elemento.

WOLVERINE ORIGINS #23 - O jogo do gato e do rato continua. A única coisa que salva isto é o Deadpool, mas o facto é que não há rigorosamente história nenhuma aqui, é só uma cena de luta enorme. E isso não me chega.


E pela primeira vez, vou fazer batota, escolhendo como SUPRESA e MELHOR DA SEMANA o mesmo comic. E no processo, engolir as minhas palavras, porque esta semana, o vencedor das duas categorias é o COUNTDOWN TO FINAL CRISIS 6! Ninguém está mais espantado do que eu, a sério! Não o posso, infelizmente, recomendar aos leitores comuns, porque penso que seria preciso ler todos os outros 40 e tal números da série para perceber a história, mas é pena. Este número merecia ser apreciado. Será que o resto da série vai ser assim tão bom? É pouco provável. Mas conseguiram surpreender-me com este, e só por isso, dou-lhes o merecido crédito.
Mais uma vez, não transita nada para a próxima semana, e como tal ficamos por aqui. Adeusinho!
saí­do da mente de Luís F. Alves às 12:00 da manhã
link do post | 0 comentários | voltar ao topo
sexta-feira, março 14, 2008
E cá estamos nós outra vez!
Não percamos tempo, e passemos directamente ao comic que ficou pendente na semana passada, sim?

OMEGA THE UNKNOWN #6 (de 10) - E neste número, passámos a ter uma mão gigante com pernas a combater o crime. Sim, leram bem. Há sempre um patamar de bizarria a que esta série ainda não ascendeu, mas do qual nunca está muito longe. Suspeito que é como o LOST, quando desistimos de ter respostas é que elas surgem repentinamente. Eu ainda não desisti, consequentemente ainda não as há. Vou continuar à espera...

E de seguida, os comics desta semana:

SERENITY BETTER DAYS #1 (de 3) - Não posso negar que é sempre divertido voltar a ver estes personagens, mas não sei, há algo neste primeiro número que não me prende, e nem sei exactamente o que é. Talvez seja o facto de ser mais uma prequela, ou talvez seja porque o filme efectivamente me deu tudo o que eu queria, e consequentemente não preciso de mais histórias. Não sei. Isto é bom, está bem escrito e tal, mas comigo não resultou. Talvez resulte convosco.

BOOSTER GOLD #7 - Esta série continua a ser das melhores da DC, mas infelizmente, a história corrente tem dois problemas. Primeiro, está cheia de OMACs, e já estou completamente farto disso. Segundo, é mais que óbvio como a história vai acabar. E não é da maneira que eu gostaria...

COUNTDOWN TO FINAL CRISIS 7 - Surpreendentemente, este número é ligeiramente melhor que os mais recentes. Não muito, mas ligeiramente. Ou então eu é que já me habituei. Seja como for, isto continua a ser muito muito MUITO fraco.

GOTHAM UNDERGROUND #6 (de 9) - Deixando para trás os flashbacks do número anterior, este volta ao centro da acção, acrescentando cada vez mais antagonistas e reviravoltas, sem nunca perder a lógica ou a coerência. Já disse antes, e volto a dizer: É o melhor livro do Batman no momento.

GREEN LANTERN CORPS #22 - Interessante, mas apesar de ser uma resolução relativamente satisfatória para a história que começou no número anterior, a verdade é que não acrscenta nada à mesma. Em última análise, foi perfeitamente dispensável.

SALVATION RUN #5 (de 7) - Mais porrada! A Catwoman faz o inesperado! O Martian Manhunter é mais cool do que era há muito tempo! Divertido, como é costume. Só é pena a reviravolta no final, que me parece ridícula, e considerando o que se passa no resto do universo DC, até algo redundante. Mas enfim, suponho que algum final eles tinham que arranjar para isto...

SUICIDE SQUAD RAISE THE FLAG #7 (de 8) - É por isto que o grupo se chama SUICIDE Squad... Como esperado, chegou o ponto da história em que os personagens se começam a matar uns aos outros, e é tão intenso e sangrento como se antevia que fosse. Com excepção de demasiado despejar de informação na primeira página, a qualidade desta série mantém-se. Só temos é mais um número por sair, e há demasiadas coisas por esclarecer. A ver vamos...

WONDER WOMAN #18 - Ok, a história começa com a Wonder Woman a cortejar o tipo em que está interessada através de um ritual bastante bizarro, e daí passa imediatamente para um exército extraterrestre que surge de repente, assumidamente, só para andar à porrada com ela. Isto nas primeiras dez páginas. E depois, claro, vem a estátua... Definitivamente, a Gail Simone foi a melhor coisa que podia ter acontecido a esta série...

ASTOUNDING WOLF-MAN #5 - Esta série continua a ser exactamente o que era no inicio: Algo bom para matar o tempo, mas passivel de ser esquecida imediatamente. Suponho que enquanto tiver tempo livre para a ler, vou continuar a fazê-lo, mas se não tiver, também não lhe vou sentir a falta...

AMAZING SPIDER-MAN #553 - Negativo: o tom retro desta série está a ir longe demais. E o vilão não só é desinteressante como tem um aspecto nojento. Positivo: os elementos de soap opera, apesar de quase ausentes desta vez, continuam a avançar na direcção certa, e a engenhoca nova do Peter Parker não está mal pensada. Em suma, este comic prova que todo o evento One More Day era mais ou menos desnecessário, o que não implica que o Brand New Day não seja boa ideia. Mas repito o que disse da última vez: esta é a história mais fraca pós-OMD, até ver.

AVENGERS INITIATIVE #10 - Bom, alguns dos que eu não queria que morressem sobreviveram. Outros ainda não sei. Outros morreram mesmo. E neste número, morrem mais. Esta história parece mesmo desenhada para limpar a série de montes de personagens. E mesmo assim, é uma boa história...

FANTASTIC FOUR #555 - Sem o efeito surpresa do número anterior, este perde boa parte do interesse. A história secundária com o Johnny Storm, em especial, parece-me bastante estúpida. O resto é interessante, mas ainda não ganhou balanço que chegue.

LAST DEFENDERS #1 (de 6) - Não sendo particularmente fã do conceito dos Defenders, esta não é uma série pela qual estivesse muito ansioso. Mas ainda bem que peguei nela. Não sendo uma história particularmente brilhante, a dinâmica de grupo dos personagens escolhidos é excelente, porque eles REALMENTE não fazem sentido como equipe. Outro ponto positivo é o "grito de guerra" que um dos membros do grupo usa a certa altura...

MIGHTY AVENGERS #10 - Ao contrário do Spider-Man desta semana, aqui o aspecto retro da história está muito bem feito, e funciona às mil maravilhas. Em si mesmo, este comic é divertido, apesar do Sentry já irritar um bocado. O problema é que este story arc é a coisa mais inconstante que tenho lido nos últimos tempos! Primeiro os simbiontes, depois o Doom, depois as viagens no tempo, e seja lá o que for que se segue? Não faz grande sentido como uma história só, é como se o Bendis tivesse decidido atirar para dentro disto todas as coisas que queria usar mas para as quais não tinha outro contexto decente.

THUNDERBOLTS #119 - Os Thunderbolts continuam a implodir com conflitos internos, o plano do Swordsman atinge massa crítica, o Norman Osborn está cheio de vontade de voltar a vestir o fato verde, e o Doc Samson e o Penance vêm televisão. Warren Ellis, senhoras e senhores!

WOLVERINE #63 - Sem o twist da parte anterior, este comic não funciona tão bem (eu sei que disse coisa parecida mais acima, mas não tenho culpa que seja verdade para ambos os comics). Acaba por ser só mais uma história sobre o passado do Wolverine a reflectir-se no presente, e convenhamos, acho que já estamos todos fartos disso. Eu estou, pelo menos...

X-FACTOR #29 - Com a pressão acrescida de serem a única equipa mutante ainda em funcionamento oficial, as rachas na organização X-Factor começam a mostrar-se, e vários membros ameaçam deixar o grupo. Claro que nem todos conseguem... Mais trabalho de personagens, e é nisso que tanto esta série como o Peter David brilham, por isso este comic não desilude.

Desta vez não transitou nada para a próxima semana! Fixe!
A SURPRESA DA SEMANA, na minha humilde opinião, está no COUNTDOWN TO FINAL CRISIS. Porque consegue ser um niquito melhor do que costuma. Pouco, mas o suficiente para ser aqui destacado, até porque duvido que tenha outra oportunidade de o fazer pela positiva.
Quanto ao MELHOR DA SEMANA, é também o COUNTDOWN... Mentira! HAHA! São tão ingénuos, vocês! Eu estava a brincar!
...
Porque fiz esta piada sem piada nenhuma? Não sei. Apeteceu-me. Aguentem-se.
De volta ao assunto em causa, o MELHOR DA SEMANA é o THUNDERBOLTS #119. Porquê? Porque foi o que me agradou mais. Tão simples como isso.
E está feita mais uma semana! Até à próxima, pessoal!
saí­do da mente de Luís F. Alves às 11:10 da tarde
link do post | 0 comentários | voltar ao topo
sábado, março 08, 2008
E eis-me de volta!
Peço desculpas pelo incidente da semana passada, mas foi-me completamente impossível fazer as criticas semanais. Problemas técnicos, como disse o Jorge.
Inicialmente, a ideia era fundir o post da semana passada com o desta, e criticar todos os comics. Mas convenhamos, isso ia ficar demasiado grande, pelo que preferi simplesmente saltar os comics da semana passada, e fazer uma coluna normal hoje.
Isto dito, como a confusão toda, há comics que eu já nem sei quando sairam, por isso não se admirem se alguns dos mencionados hoje já tenham mais que uma semana, ok? Ok.
Vamos a isto, então.

BUFFY THE VAMPIRE SLAYER #12 - Bom, isto teve piada. Já sei que há muita controvérsia à volta do que acontece aqui, mas sinceramente, acho que é muito barulho por nada, parece-me perfeitamente lógico. Bom material, e hilariante.

THE END LEAGUE #2 – Já não me recordo qual foi a minha opinião do primeiro número disto. Gostei? Não gostei? Não me lembro, e não me apetece ir ver. Qualquer dos casos, pelos vistos intrigou-me o suficiente para ler o segundo número. E embora não haja nada de errado com esta série (muito pelo contrário, está bem escrita e desenhada), isto não está a “clicar” comigo, por alguma razão. Vou ler o próximo, não sei se lerei mais...
COUNTDOWN TO FINAL CRISIS 8 – Há algo de reconfortante no constante nível de qualidade deste comic. Sabemos sempre com que contar. E mais uma vez, ele não desilude. Mais uma vez, é uma bosta.
GREEN LANTERN #28 – Apesar do que disse desta série da última vez, começo a acreditar que é praticamente impossível aparecer aqui uma má história. Gostei muito deste, especialmente porque, mantendo a qualidade costumeira, consegue ultrapassar o problema que apontei da outra vez, dando alguns pequenos laivos sobre o começo da Guerra da Luz, o que resulta num uso do tom épico do passado em favor da história presente. Recomendado, como sempre.
NIGHTWING #142 – Raramente vi o Dick Grayson em tão boas mãos como as deste argumentista. Infelizmente, o enredo é, pelo menos para mim, completamente desinteressante. O personagem central pode nunca ter sido tão bem escrito, mas com uma história fraquita, não se pode dizer que seja exactamente um prazer ler esta série. Mas pronto, tenho esperança que a coisa melhore. E a verdade é que também não está assim TÃO má...
CASANOVA #12 - Este comic é estranho para mim. É daqueles que é preciso estar com muita atenção para se acompanhar a história, mas como eu raramente me lembro do que aconteceu nos números anteriores, acabo por me desligar um bocado, e sei que perco muito assim. Mas é assim que funciona comigo. E mesmo assim, funciona, porque eu continuo a ler, e diverte-me sempre. Este número chama-se "Fuck Shit Up", e é precisamente isso que acontece. Shit gets fucked up. I liked it.
AMAZING SPIDER-MAN #552 – O vilão novo lembra-me um dos cadáveres daquela exposição que esteve em Lisboa há quase um ano. Tirando isso, não há muito a dizer sobre este comic. Continua bom, mas é o começo de story-arc mais fraco até agora. Esperemos que melhore.
CABLE #1 – Interessante. Confesso que este é daqueles personagens pelos quais tenho um fraquinho. O Cable é um monte de clichés ambulante, mais uma daquelas criações do Rob Liefeld que não devia funcionar, mas funciona. E este novo contexto para ele parece-me interessante, uma espécie de Lone Wolf & Cub futurista (pelo que ouvi dizer do LW&C, pelo menos; nunca li, sinceramente). E gosto também da escolha de antagonista, que sendo previsivel, é um uso mais lógico do personagem em questão do que o que lhe tem sido dado ao longo destes anos todos. Isto pode vir a tornar-se uma série muito boa, mesmo...
LOGAN #1 (de 3) – Mais uma história sobre o passado do Wolverine, desta vez durante a Segunda Guerra Mundial. Enfim. Não é exactamente algo que me entusiasme, mas uma vez que ultimamente ando a descobrir os trabalhos do Brian K. Vaughan, decidi experimentar esta série. Não fiquei terrivelmente impressionado, mas até é boa. Só que ainda é cedo para avaliar isto, a história vai no começo. Veremos como continua. Para já, acho que se pode dizer que faz um melhor trabalho do que o Wolverine Origins, série que devia ser dedicada a este tipo de histórias. Mas pronto, isso é outra conversa...
PUNISHER WAR JOURNAL #17 - Infelizmente, este é outro dos números desta série que não me prendeu. Não me demove de ler os próximos, já sei que esta série ocasionalmente falha os meus gostos, mas depois recupera. Espero que recupere brevemente.
THE TWELVE #3 (de 12) - Este leva o prémio de pior frase da semana, nomeadamente: "He was the master of zombies. He called himself...The Zombie Master!" Ok, são duas frases, mas pronto, vocês perceberam. Aparte isso, esta série continua a ser muito boa, uma exploração bastante interessante de personagens bi-dimensionais atirados de cabeça para os tempos modernos, ganhando três dimensões para as quais não estão bem preparados. Por assim dizer. Boa leitura, a meu ver.
UNCANNY X-MEN #496 – Aviso a quem não quer saber antecipadamente quem morre no último Astonishing X-Men pelo Joss Whedon: Não leiam este comic. Há spoilers consideráveis aqui. Tirando isso, a história dos X-Men em “férias” continua a ter a sua piada, com o Cyclops e a Emma Frost a visitarem uma S. Francisco de regresso aos anos 60, e o Nightcrawler, o Colossus e o Wolverine a beber uns copos num bar na Rússia. Onde depressa há porrada, claro. Nada disto é brilhante, mas diverte.
X-FORCE #2 – A ambiguidade moral continua, o sangue e violência também. E nada disto é gratuito. Estava à espera de ser algo desiludido por esta série, depois da promessa do primeiro número, mas até ver, nada indica que isso venha a acontecer.
THE BOYS #16 – É o segundo capítulo da história corrente, e não só o humor ordinário é mantido no mínimo, como praticamente não há porrada. O que significa que a equipa criativa tem espaço para fazer aquilo que realmente faz bem: exploração de personagens. Gostei do capítulo anterior, mas isso foi só porque me tocou nos gatilhos certos. Muito bom.
RASL #1 - Bom, definitivamente, isto não é o que eu esperava do criador do Bone. Não dá para perceber muito da história, isto é pouco mais do que uma introdução, mas está bem feita, e intrigou-me o suficiente para experimentar mais uns números.
ECHO #1 - Esta critica seria exactamente igual à do RASL, tirando o facto de ser feito, não pelo criador do Bone, mas pelo do Strangers In Paradise. De resto, seria a mesma coisa, por isso não me vou repetir, desculpem lá.

Para a semana que vem transita o OMEGA THE UNKNOWN #6. E agora, as escolhas:

SURPRESA DA SEMANA: Não foi uma grande semana para surpresas, mas acho que vou pelo RASL #1. Definitivamente diferente do que eu esperava.

MELHOR DA SEMANA: Também não foi uma grande semana em termos de qualidade, nada se destaca assim muito, por isso vou pelo BUFFY #12, porque (como de costume) me fez rir.
Esta semana isto foi um pouco curto de palavras, eu sei, mas vou tentar compensar para a próxima, prometo. Até lá, um grande abraço!
saí­do da mente de Luís F. Alves às 3:14 da tarde
link do post | 2 comentários | voltar ao topo
segunda-feira, março 03, 2008
Li hoje o primeiro número da BD chamada 'Jenna Jameson's Shadow Hunter'. Para quem não sabe, a Jenna Jameson era uma actriz porn que entretanto passou de actriz para produtora de filmes pornográficos.


Não seria de esperar vê-la a escrever um comic, mas resolvi lê-lo de qualquer forma, já esperando o pior. Se calhar foi por isto que fiquei surpreendida pela positiva. Embora o comic não tenha um argumento digno de um prémio, não está mau. Claro que isso é capaz de se dever a ser também escrito por Christina Z, uma escritora de comics. A arte, de Mukesh Singh, está bastante boa e acaba por ser o que achei a melhor parte de 'Shadow Hunter'.

Depois desta surpresa, fui ao site da editora, a Virgin Comics, e ao que parece estão a estender a escrita de comics a pessoas de outros géneros de entertenimento, inclusive o actor Nicolas Cage e o realizador John Woo. Estou um pouco de pé atrás em relação à qualidade das histórias destas BDs, mas a ideia de ter algo de diferente em vez de apostar na mesma fórmula de sempre deixa-me curiosa sobre o que por aí vem.
saí­do da mente de Raquel às 12:34 da manhã
link do post | 2 comentários | voltar ao topo
sábado, março 01, 2008
"Na próxima 3ª feira, dia 4 de Março, o argumentista/desenhador David Soares e o arte-finalista Mário Freitas estarão presentes na Tertúlia BD de Lisboa, onde apresentarão a sua recente colaboração, uma história em 4 páginas a ser distribuída gratuitamente durante o serão, e que parodia uma conhecida figura de horror do imaginário dos comics americanos.

Convido assim todos os interessados a estarem presentes numa noite que se prevê muito animada. Para quem não sabe, a Tertúlia BD de Lisboa realiza-se na primeira terça-feira de cada mês no Restaurante Gina, no Parque Mayer, sensivelmente a partir das 20h."

Retirado de http://kingpin-of-comics.net/forum/viewtopic.php?t=480

Nota: O Luís pediu-me para avisar que a ausência da sua crónica habitual deve-se a falhas técnicas (resumo: está sem acesso à net).
saí­do da mente de Jorge Amorim às 10:51 da tarde
link do post | 1 comentários | voltar ao topo


Conteúdo © Copyright 2006 Jorge Amorim, R e (Phi)lipe. Todos os direitos reservados.
As imagens usadas são propriedade dos respectivos donos.
Icons por Kevin Potts.