free tracking

conspiradores

. Raquel

. Jorge Amorim

. Nuno Miguel Lopes

. Luís F. Alves

estamos aqui

e-mail

. Say NI

artigos recentes

. 18 Days - Grant Morrison

. Blá Blá Blá - Vol.2 - #001

. Teaser (mais um) de Shadowland

. Cameron Stewart sai do "Return of Bruce Wayne"

. Fim da Linha para um Herói :P

. Personagens Femininas da Disney em versão Comic

. Pequenas notas de BD

. Hoje, não gosto da Marvel

. Jeff Lemire a escrever Superboy

. RIP Comicsworld

links de comics

. Comic Book Resources

. DC Comics

. Image comics

. Kingpin of Comics (Site)

. Kingpin of Comics (Blog)

. Leituras de Bd e não só

. Marvel Comics

. Newsarama.com

. Silver Bullet Comics

. World of Manga and comics

. Luca BD

outros links

. Corusca

. Multitudo Design

. O Armário das Calças

. Sonhos Urbanos

RSS
Powered by Blogger
segunda-feira, junho 21, 2010
Hoje conjectura-se sobre o porquê da politica de preços da Marvel para os comics digitais...



Luís: A Marvel tem andado nas notícias ultimamente graças aos seus comics digitais. Depois de anos com um serviço pago que nunca agradou a quase ninguém, o lançamento do iPad deu um enorme empurrão para a frente na politica digital da empresa, com o lançamento de uma (muito bem recebida) aplicação dedicada.
Ainda assim, surgiram algumas críticas: a relativa falta de títulos disponiveis (que se resolverá com o tempo, obviamente), o preço (a maioria dos comics digitais da Marvel são a $1.99), e acima de tudo, o disponibilizar de comics novos apenas semanas ou meses depois de já terem saído em papel.
Esta semana, com a saída em simultâneo do Invincible Iron Man Annual, pela equipa Fraction/Giandomenico, em formato digital e físico, a Marvel parece estar a testar as águas relativamente aos lançamentos no mesmo dia.
No entanto, isto tem sido controverso, porque por alguma razão, a Marvel decidiu que a versão digital do comic vai ser dividida em três partes, e o preço total vai ser superior ao da versão em papel.
Que me dizes tu sobre tudo isto?

Jorge: A Marvel como empresa não está nisto pelo amor à arte, mas acho que com esta política não vai muito longe. Julgo que das coisas boas, na ideia inicial dos comics em formato digital, seria um preço mais simpático (algo como 1/3 do preço de capa) e aceder imediatamente a comics com um simples clique de rato.
Pagar mais pelo formato digital do que pelo formato em papel, parece-me um tiro nos próprios pés.

Aproveito para relembrar que estes comics específicos que estamos a falar, foram pensados originalmente para serem publicados em papel. Pessoalmente, acho que seria mais interessante exisitirem comics elaborados especificamente para o formato digital.

Luís: Concordo que coisas pensadas para o formato funcionarão melhor, mas lá está, nós hoje estamos a falar da perspectiva comercial, mesmo.
E a minha questão é mesmo a que levantaste. Que raio se passará na cabeça daquela gente? É que com a popularidade do iPad e da aplicação dedicada, que eles próprios se fartaram de anunciar que ia levar a Marvel a mais não sei quantos milhões de pessoas, e tal... Não faz sentido nenhum. Estão a acabar com um mercado em potencial na altura em que mais o deviam desenvolver.
Será que estão a contar com o facto dos utilizadores do iPad não fazerem ideia de quando saem as coisas na loja? Ou será que é uma espécie de proteccionismo das lojas?

Jorge: Não acredito na hipótese do proteccionismo das lojas. Qual seria a vantagem para a Marvel como empresa?
A não ser que estes valores fossem temporários para assegurar vendas das impressões já agendadas, para daqui a uns meses começarem a inverter a situação.

O iPad é um fruto da moda e muitos utilizadores vão usar estas "aplicações-maravilha" apenas porque é novidade. Estes indivíduos vão dar força inicial a este mercado, quem está habituado aos comics conhece preços e datas de lançamento. Repara que o título com data de lançamento digital e em papel foi o Iron Man, a coincidir com o filme nas salas de cinema, assim esta nova geração de leitores experimenta a aplicação-maravilha na máquina da moda com o filme pipoca que viram a semana anterior no cinema.

Luís: Mas lá está, isso são vistas MUITO curtas da parte deles. O iPad é a moda corrente, mas as tablets em geral vieram para ficar, e seja com a aplicação da Comixology, ou com o Graphic.ly ou mesmo com o eternamente adiado Longbox, o mercado digital não vai desaparecer mesmo quando deixar ser moda, vai antes tornar-se parte importante do cenário. Como tal, estar simplesmente a dar um pontapé ao lado como este não faz sentido. A explicação aparente seria o tal proteccionismo das lojas, porque são no momento o único outlet rentável que têm para os comics.
A meu ver, esta seria a altura ideal para algumas (pequenas) perdas monetárias, em troca de desbravarem terreno num mercado ainda inexplorado, e receberem a recompensa a médio prazo de terem chegado primeiro. Especialmente considerando que têm o backing financeiro da Disney.
Por outro lado, é possivel que o problema seja esse, sei lá. A Disney nunca foi dada a experimentalismo comercial...
saí­do da mente de Luís F. Alves às 2:34 da tarde
link do post | | voltar ao topo
2 Comentários:
A ideia que fica é que ele querem cortar as pernas ao digital talvez com medo do sucesso desta via.

Saí­do da mente de Blogger Manuel Frederico, às 3:11 da manhã

 
eu achava giro material feito exclusivamente para formato digital

Saí­do da mente de Blogger Jorge Amorim, às 8:34 da manhã

 

Enviar um comentário

<< Iní­cio



Conteúdo © Copyright 2006 Jorge Amorim, R e (Phi)lipe. Todos os direitos reservados.
As imagens usadas são propriedade dos respectivos donos.
Icons por Kevin Potts.