free tracking

conspiradores

. Raquel

. Jorge Amorim

. Nuno Miguel Lopes

. Luís F. Alves

estamos aqui

e-mail

. Say NI

artigos recentes

. O Site do Chris Giarrusso

. Humberto Ramos em Wolverine

. Superman Returns Promos

. Knights of the Old Republic (Previsão)

. Mais The Red Star

. The Walking Dead (recomendado)

. Workshop de Ilustração e BD

. Ex Machina

. Battle Chasers

. Entrevista a Keith Giffen

links de comics

. Comic Book Resources

. DC Comics

. Image comics

. Kingpin of Comics (Site)

. Kingpin of Comics (Blog)

. Leituras de Bd e não só

. Marvel Comics

. Newsarama.com

. Silver Bullet Comics

. World of Manga and comics

. Luca BD

outros links

. Corusca

. Multitudo Design

. O Armário das Calças

. Sonhos Urbanos

RSS
Powered by Blogger
segunda-feira, março 27, 2006
O que tem sido dito sobre o filme?

"V DE VINGANÇA, anunciado como um "blockbuster" de acção dos
criadores de MATRIX, é no fim de contas uma fábula cerebral,
não muito veloz e nem sequer muito cheia de sequências de
acção. A certa altura, o vingador V, depois de sobreviver a
uma saraivada de balas afirma: "Por trás desta máscara há
mais do que carne e sangue; por trás desta máscara há uma
ideia, e as ideias são à prova de bala". A frase acaba por
funcionar como uma metáfora sobre o próprio filme: por trás
da máscara de "blockbuster" (que aliás tem servido para
promover o filme) há, de facto, muitas e boas ideias. E a
verdade é que elas sobrevivem aos tiros no pé do realizador
McTeigue."

Nuno Markl (Há vida em Markl)

"É, aliás, muito evidente para quem quiser vê-lo que os
Wachowskis quiseram fazer um filme que não se esgote na
superfície do filme de acção, que deixe questões importantes
a remoer na cabecinha daqueles que nelas quiserem mergulhar.
Os ferrenhos da novela gráfica de Moore e Lloyd gritam já ao
sacrilégio pelas alterações que os irmãos introduziram para
tornar a história num filme mas é forçoso reconhecer que,
mesmo assim, "V de Vingança" continua a levantar muitas das
questões que interrogava em livro. Richard Corliss, na
"Time", estará mais próximo da verdade quando diz que o
grande cinema de género dos anos 50 e 60 reflectia as
realidades contemporâneas por um prisma distorcido, e é
nessa linhagem que "V de Vingança" deve ser apreciado. Como
um espectáculo popular dobrado de filme tudo menos
politicamente correcto - caderno de encargos que cumpre com
brilhantismo, mesmo que sem genialidade, em ambas as
vertentes"

Jorge Mourinha (PÚBLICO)

"Whenever a film is made which is based on a comic book, I
think it’s important to keep in mind that that film is very
much a piece of art unto itself. (...)
The Wachowski brothers wisely choose to make some judicious
edits to Moore’s original text, cutting whole subplots which
are unnecessary for a 2-hour feature film, and concentrating
on getting their core story right. (...) James McTeigue’s
direction is solid too, making the most of the source
material without ever overwhelming Moore and Lloyd’s
original vision with his own take on their work. He clearly
has a strong visual sensibility, which is essential in
bringing some of the most important moments from the book to
life."(...) I’ll be interested to see what kind of reaction
this film receives over the coming weeks, and I hope it
receives the exposure it deserves, because it’s a very
challenging and refreshingly unpatronising mainstream movie
– but most of all, it’s an entertaining and
thought-provoking one. If only all “comic book films” were
this good."

Dave Wallace (Silver Bullet Comicboks)

"The acting, direction, and score all exceed expectations,
and you will be left a changed person. So please, see it,
reflect on it, and most of all, enjoy it."

Nicholas Slayton (Silver Bullet Comicbooks)





O que achei do Filme?

Adorei o filme, saí do cinema com vontade de o rever. Não me senti chocado com a realização, nem com o argumento e, muito menos, com os actores. Hoje dei por mim a sonhar acordado
com a futura edição em DVD (espero estar recheada de extras).

Sou um fã do comic e alerto que a história do filme não é igual à obra em que se baseia. Não falo de cortes feitos, refiro-me mesmo ao que é contado.
Serão as melhores opções? Algumas são boas opções (deixar o parlamento para o fim), outras são opções ao estilo de Hollywood (algumas alterações de personagens e logo no início quiseram poupar a Evey de se estar a iniciar na prostituição) e outras não se percebem (como ignorar certos pormenores deliciosos dos homicídios que apenas ocupariam mais 20-40 segundos).

Será a melhor adaptação feita de um comic? Não sei, mas está boa.

A ausência do nome do Alan Moore, no filme, faz-me todo o sentido já que foi a vontade deste artista, de quem podemos dizer que é coerente nas suas decisões.

Ficamos assim com um óptimo filme e uma boa adaptação de um comic.
saí­do da mente de Jorge Amorim às 12:05 da tarde
link do post | | voltar ao topo
3 Comentários:
adoro o banner!!Lautrec

Saí­do da mente de Anonymous Anónimo, às 12:54 da tarde

 
Lautrec: ainda bem que gostas. :)

Saí­do da mente de Blogger R, às 11:50 da tarde

 
asdsiasojds

Saí­do da mente de Anonymous Anónimo, às 5:48 da tarde

 

Enviar um comentário

<< Iní­cio



Conteúdo © Copyright 2006 Jorge Amorim, R e (Phi)lipe. Todos os direitos reservados.
As imagens usadas são propriedade dos respectivos donos.
Icons por Kevin Potts.